.

.

dinsdag 31 juli 2018

Introdução

O material de partida.
Hestel Tellus

Somos Hestel Tellus; duas pessoas que executam um projeto chamado 'fazenda de compostagem' no Alentejo, Portugal. Neste blogue contamos sobre as nossas experiências com a compostagem de ervas e gramíneas (colhidas na nossa terra), e sobre a horta à qual fornecemos este composto no solo local (o pó de pedra) do Alentejo.

O Hestel Tellus é uma iniciativa privada e independente; um projeto puramente sobre compostagem e horticultura.

No passado, tínhamos uma empresa de compostagem na Holanda, onde compostávamos gramíneas de terceiros. Após a nossa reforma, mudamos para Portugal e continuamos a nossa técnica de compostagem em escala menor (pessoal), em condições portuguesas, principalmente para montar uma horta para autoconsumo. Aqui descobrimos como o composto literalmente dá vida ao solo (o pó de pedra português) para o cultivo da nossa comida.

É assim que desenvolvemos um modelo que permite a qualquer pessoa (quem sabe e quer isto) implementar uma existência de autossustentação para si mesma, a família ou a comunidade... em qualquer lugar deste globo onde haja grama e pó de pedra. Sem a necessidade de criar gado, mas não necessariamente excluindo-o.

Embora o nosso modelo seja desenvolvido a partir de uma base científica (o eng. Dr. H. Krantz, publicado por volta de 1935), baseamos tudo o que fazemos em um nível pessoal e puramente prático. O que você vê é o que você recebe. Além de sermos criativo, não incluímos política, religião ou qualquer forma de espiritualidade. Este último é irrelevante para nós. Na nossa prática diária, o meio ambiente nos inspirar o suficiente.

Canteiros com uma mistura de solo e composto, com uma cobertura de mulch (cana picada) no topo. 
Este é o resultado.
Índice

Importante ler:

- Um resumo prático... Sobre a compostagem de gramíneas, como faço isso.

- Como começar a compostagem, imergindo feno... Porquê imersão com fluido de enxerto?

- Este feno é um material excelente para compostagem... gramas secas fazem compostagem mais fácil.

- Nosso solo é fértil! O composto não é um fertilizante. É uma condição para a atividade do solo.

- Conhecimentos de idade. Novas apercepções. Sobre uma das nossas fontes de conhecimento, Dra. Elaine Ingham.

- O método de Krantz... a história e publicações; a base do nosso método.

E mais... a encontrar na barra lateral deste blog.


Obviamente, você pode fazer mais com uma pastagem que só se alimentam seus animais. Fazer composto de grama e trazer mais vida ao seu jardim!

Mmmmmm...
*

Stella.

Maio 2018

Traduzido do Inglês por Google e corrigido com a ajuda do meu professor João Ghizoni.

zondag 15 juli 2018

Oh oh... Tudo tem que ser diferente!

Com a lembrança dos efeitos do calor e da seca do último verão, isso é um alívio... uma nuvem de tempestade sobre uma terra húmida:

Maio, 2018
E neste verão tudo será diferente

A compostagem

No início deste verão, Hendrik fez uma descoberta e foi capaz de responder a uma pergunta de longo prazo: "Porque, no grande saco, uma parte do composto se torne seca sempre? E por que a outra parte é sempre tão agradável, molhada e faz a compostagem tão bem?"
A resposta? Todos os grandes sacos estão em uma inclinação muito pequena, com não mais que 4cm. de diferença. Essa diferença garante que a humidade no feno caia lentamente até o ponto mais baixo (no decorrer de seus 3 a 4 meses de compostagem). Por causa disso, o feno na parte mais alta compõe-se mal porque, sem humidade, não pode facilmente vir a escaldar.

"Bem, agora eu tenho certeza!", Hendrik gritou, "que eu não cheguei a isso antes! Eu realmente sei com certeza agora, porque as partes secas estão todas do mesmo lado. Não pode ter nada a ver com o vento, o que eu sempre achei, porque o vento vem do norte. E a parte mais alta fica ao sul, onde também há a cerca, de modo que não vem vento. O terreno está escorrendo e a humidade está baixando. Há tempo suficiente para isso. Os grandes sacos devem estar absolutamente horizontais. Essa é a única solução!"

E então tivemos um problema.

Um monte é simplesmente um monte. E uma inclinação de não mais de 4cm dentro de um metro... Quanto é isso na verdade? Em um monte, chamamos isso horizontalmente. Nosso terreno a única parte verdadeiramente horizontal fica ao lado do rio.

E depois...

O risco de incêndio

Os incêndios do ano passado estão todos gravados em nossa memória. E isso, especialmente desde que o governo de Portugal exigiu trabalho de limpeza extenso em torno das casas nas áreas rurais... acompanhados de pesadas multas, quando não serão cumpridas. As casas na área florestal em particular estariam sujeitas a um regime estrito e a aplicação da nova lei seria monitorada de perto. Por exemplo, é a intenção de que até 50 metros em torno de cada casa toda a vegetação rasteira deve desaparecer. Da mesma forma, todas as árvores com sua coroa, a menos de 5 metros da casa devem ser cortadas.
Em resumo o nosso senhorio entrou em relativo pânico com a perspetiva de uma multa de pelo menos 10 mil euros. Mas também ouvimos outros sons... pois é costume das pessoas produzir outros sons... incluindo a zombaria. E também vemos outras coisas... por exemplo, árvores que crescem em casas e ainda estão crescendo lá.

Azinheiras na casa. Maravilhoso para ficar na sombra e se inspirar para pensar em coisas bonitas.
Apesar de tudo isso, o nosso proprietário de terras não corria riscos...


Foi um dia triste. Choveu um pouco e permaneceu nublado durante toda a semana. Quando o sol começou a brilhar, ficou muito quente alguns dias... claro... e sentimos muito a falta muito da sombra na casa... muito.
Isso ajudaria nos riscos associados ao cultivo comercial de eucalipto para a indústria de papel? Isso ajudaria a evitar os incêndios que foram inciados pelas pessoas? É só uma pergunta...

As consequências para o armazenamento de feno

Isto não é mais permitido:


Muito perto da casa, aqui no topo do monte o feno deve ficar abaixo. Bem, pode ficar claro que isso também requer uma nova solução.

"Eu tenho que descer o Monte", disse o Hendrik. "É assim que é."

Horizontal e à prova de fogo

É nosso hábito ao longo da vida responder em termos de soluções... Ao mesmo tempo que mantemos essa coisa que nunca se esquivará... O núcleo do que encontramos é importante... Difícil de colocar em palavras... a preservação de um ser humano -aprimorada talvez- ou invariavelmente ignorando tudo que parece bonito, mas que se revelará sem importância a longo prazo, certamente. E se você tem que jogar tudo de cabeça para baixo, por que não fazer algo legal e aproveitar a situação?

Por toda a vida nós nos acostumamos a responder em termos de soluções... enquanto mantemos aquilo que nunca e nunca dará lugar... o núcleo do que achamos importante... difícil de colocar em palavras... a preservação da auto-estima, se calhar... invariavelmente ignorando tudo o que parece bonito, mas que, se revelará sem importância a longo prazo, certamente. E se você tem que confundir tudo, por que não o tornar divertido e aproveitar?

Que temos que compostar horizontalmente... okay, isso está claro agora. Mas esse risco de incêndio... isso aconteceu de repente. Ainda não existia, até o ano passado, quando estava tão quente e seco. E agora, enquanto este verão é mais frio que o normal, essa urgência também desaparece. Estão em silêncio os meios de comunicação.
Mas agora o proprietário da nossa casa está tranquilo e não tem mais noites sem dormir. E nós passamos para as coisas do dia, encontrar outro lugar à sombra para sentar e pensar, e encontrar um local agradável perto do rio para compostagem. Apenas um problema surge. Como é isso com a água?

Normalmente o rio está seco no verão. Além disso, o reboque com baldes não tem mais nossa preferência. Se fôssemos jovens... bem, pensem em algo. Uma bomba de água? Não, isso também não funciona. Não há eletricidade lá embaixo. Então... nós trazemos a água para baixo. Com os meios mais baratos, num país onde se pode comprar tudo no campo da irrigação. Isso não deve ser muito difícil.

Demarcou-se um pedaço de terra onde as ovelhas não vêm. Segado e nivelado.
Todas as caixas e barris trazidos para baixo.. A mangueira de água está pronta.
Tudo pronto para uso.
Uma nova invenção de Hendrik, substituindo a caixa em que ele sempre encheu um grande saco. Seu chamado "bunker de enchimento". Um nome grande para uma conversão em rodas. Um protótipo, é claro, porque essa ideia ainda não se cristalizou completamente e tem que se provar na prática.



É assim: entre os lados da conversão, haverá uma partição. O grande saco vai para o espaço quadrado. Se estiver cheio de feno enxertado, a partição se apagará. O 'bunker de enchimento' é conduzido um pouco mais. Ao lado do grande saco cheio vem o novo. Este também é preenchido, e assim por diante. Contanto que todo o feno enxertado (da estação) esteja acabado e exista uma longa fileira, com grandes sacos vários bem justapostos, que podem então escaldar e compostar por vários meses.

Tudo isso terá sucesso, de acordo com o planejado? Vai ser um tempo emocionante.



O trabalho verdadeiro

O cortador corta.
Pisando pacotes em um barril.
Hendrik faz cerca de 30 pacotes pela manhã.
Os pacotes prontos para uso...
... e a primeira imersão já tem um dia.
A pedra.
O mais limpo possível. Você sempre pode fazer uma bagunça.
Olha, é para isso que essa mesa é. Então você não quebra as costas.
O tapete. Uma adição sutil à facilidade de uso.
A caminho do barril gotejante.
E então tudo no barril de gotejamento. Leva um dia e uma noite para escorrer.
Agora a caminho do grande saco no "bunker de enchimento".
Hendrik enche o grande saco de uma só vez. Além do barril de imersão (barril de enxerto), ele tem dois barris para escorrer. Após o gotejamento, o feno enxertado vai para os 5 barris de armazenamento, de tamanhos diferentes e bom para o armazenamento de um total de 104 embalagens de feno enxertado.
A temperatura do verão ajuda a iniciar o aquecimento.
O que ajuda também é este local que fica bem na sombra da colina, para que o sol não queime no local durante todo o dia. O processo não é impedido pelo calor, o escaldamento não enlouquece ou os sacos grandes não secam. Que, no topo do Monte, foi a razão para começar a compostagem no inverno. Além disso, este verão ameno também contribui para o sucesso. Nós não esperamos calor extremo neste verão.
E a temperatura já está a caminho, tão cedo pela manhã. Chegaremos a 60ºC?
E aqui vamos nós para o segundo turno.
Todos juntos, uma hora de trabalho pela manhã, para fazer pacotes, submergi-los e escorrer, e uma hora da noite para cortar. O corte é feito quando a terra está seca. E o pisoteio dos pacotes que você faz quando a terra está molhada de orvalho.
Enchendo o barril de enxertia...
...com o ritual bem conhecido. Certo?
E isso na sua idade, com os 80 mais próximos do que os 75.
E isso certamente ajuda! Porque de outra forma você não vai conseguir isso debaixo de água.
Pronto! Amanhã veremos novamente. Um dia e uma noite de enxerto é o suficiente.
Toque final. Fluido de enxerto adicional no barril de imersão. 
Então todo o feno está abaixo do nível.
Cobrir o barril de enxerto... Adeus, até amanhã.
O feno enxertado entra no barril de gotejamento. Também por um dia e uma noite.


E hop... Como se fosse um esporte. Tudo ajuda a colocar todos os pacotes no barril.
Às vezes ele não precisa pular. Mas se for preciso, então pula.
Cobrindo à prova de humidade.
Tampa no barril de gotejamento. Pronto para hoje. No fundo, vemos o "bunker de enchimento" com uma "caixa" extra, que deve permitir o empilhamento. Porque durante a compostagem o nível cai consideravelmente. Quanto mais houver no saco maior, melhor.
Todo o lixiviado esgotado do barril de gotejamento e o carrinho de mão volta para a 'fonte de todo o conhecimento'... a banheira com fluido de enxertia... composto de água, estrume de vaca e de ovelha dissolvido e lixiviado. Claro que a vida bacteriana é suficiente para iniciar o nosso processo todos os dias muito satisfatoriamente.
Como podemos obter o nosso estrume? Muito fácil. O gado vem apenas para visitar. O pastor com suas ovelhas vem principalmente no período mais frio (outono, inverno e primavera). E no verão às vezes temos outros visitantes...

Mais adiante nas colinas, um grande rebanho de vacas pasta em um (para os nossos termos) terreno incomensurável. Eles vão para onde quiserem e, na verdade, seguem o caminho diário da grama até o rio para beber e voltar. Mas agora que o rio já está em seu curso normal e a água está afundando lentamente, um pequeno casal (família) às vezes se afasta. Através do leito quase seco do rio eles apenas andam em volta da nossa cerca, para verificar se há algo bom para comer.
Um trabalho sazonal

Lá está ele... o primeiro orgulho da temporada de Hendrik. Um saco grande bem cheio e bem embalado. Horizontal e 'à prova de fogo'. Com seu segundo companheiro em construção. 
Hendrik precisa de uma escada para preencher a 'caixa'.
Hendrik está muito satisfeito com essa nova situação. O trabalho se tornou muito mais fácil. Não mais reboque com pacotes de feno para o Monte. Não há mais armazenamento de feno, que deve ser coberto e mantido seco. Não há mais espera pelo inverno, começando com a compostagem. Muito sábio, a propósito, agora que aqui os invernos também se revelam frios, o que dificulta o escaldão. (Pode ler mais no post 'Más Notícias' de fevereiro deste ano.) Temos acesso a um lugar agradável e espaçoso para compostar em terreno plano. E (não sem importância) um ponto na meia sombra, então a compostagem não está no sol escaldante durante todo o dia. Em suma, Hendrik está com um humor jubiloso. Isso dificilmente pode dar errado.

Agora ele só corta seus 600 m2 de campo cercado, perto do rio. Este ano tivemos que deixar a manutenção do resto do terreno no Monte, para as iniciativas do proprietário. (No próximo ano, também? Aqui você nunca sabe). De manhã, Hendrik pisoteia seus pacotes (30 peças) e começa a compostagem imediatamente. Os pacotes os dificilmente precisam ser armazenados. Dentro de 8 dias ele tem um grande saco cheio com um total de 104 pacotes enxertados de feno. Em breve poderemos medir a quantidade de sacos grandes que os 600m2 de terra produzirão.

Geralmente, o Hendrik não composta todos as pacotes de feno em uma manhã e, em seguida, ignora o corte e pisoteio, porque ele ainda tem o suficiente em estoque. E o trabalho não leva uma semana inteira. Há também dias de folga... bem... na verdade, são manhãs livres e noites livres, porque todos os dias são livres para outras coisas boas para fazer no período de corte e compostagem. Além disso, este não é um trabalho que leva um ano inteiro. Não podemos dizer quanto tempo isso levará agora, mas é óbvio que é apenas um trabalho sazonal. A compostagem em si, que ocorre nos grandes sacos pelas bactérias, obviamente leva meses. Mas antes que os sacos possam ser abertos, o Hendrik está apenas em espera. E isso é confiado a ele.

Uhuu !! Tudo é diferente!!

*

Stella.


Após 8 dias no saco grande... 57ºC

Traduzido do Inglês por Google e corrigido com a ajuda do meu professor João Ghizoni.


zondag 25 maart 2018

Más Notícias

Um vento forte do norte passou além das colinas e do rio. Estava frio neste inverno. Frio não Português. Com a geada nocturna após a geada nocturna e durante o dia espessas camadas de nuvens sobre a terra, a partir do qual nenhuma chuva cairia. Apenas um muito poucas vezes. Muito bem-vindo, mas tão incrivelmente frio.

A horta:

Finalmente a beterraba congelou também.
Um chapéu sobre as cabeças de alface, durante a noite, faz maravilhas...
pela preservação, mas não por um crescimento próspero.
O repolho é forte ... mas nem sempre em todas as circunstâncias.
Uma paralisação completa nas cebolas... Algumas sobreviveram até agora.
Como sempre, Hendrik arrumou bem suas malas grandes. Este ano são 8.
Veio como um choque

Ao desembalar o big bag, criado em Outubro (o ano passado), quase nenhuma transformação ocorreu no feno. Após o primeiro aquecimento, um frio desconhecido tomou conta dessa terra. Apesar do fato de que Hendrik protegeu bem suas big bags, isso não foi suficiente para suportar o clima de inverno. A vida bacteriana nas big bags chegou a um impasse total... Não podemos dar uma outra explicação para esse resultado inesperado que vemos.

Agora (em fevereiro) a temperatura nas big bags não ultrapassa os 10ºC. Isso também não era esperado, nesta fase de compostagem, porque já deveria ter acontecido depois de mais de 4 meses. A temperatura exterior é 9 graus mais alta hoje (no meio do dia). Felizmente, o sol está começando a ganhar terreno, está gradualmente se tornando mais quente... no meio do dia... mas à noite?

O local de compostagem é iluminado apenas pelo sol no meio do dia. Em um inverno normal, isso não é problema, porque a temperatura geral do dia está bem acima de 15 graus. Quando o calor nas big bags começa indo bem, isso é o suficiente para ser capaz de desafiar uma noite fria. Mas... não tão frio quanto neste inverno.

Verificando tudo
Deprimente.... isto depois de quatro meses!
Talvez?
Não... não passar com a pá.
Bom conselho... depois de uma noite de sono... ainda temos esterco suficiente.
E os lixiviados.
Mexendo.
Enxerto novamente. Um pouco improvisado e com moderação.
Cubra isso.
E fechar... não completamente, para que o sol da primavera possa fazer o seu trabalho.
Apenas uma grande cobertura para apanhar o calor do sol e permitir a entrada de ar.
Esperando pelo melhor...
Olha... é assim que ele está indo bem.
Nós vivemos em um lugar frio no Alentejo

É uma grande decepção. Uma verdadeira falta de compostagem de feno é completamente nova para nós. Poderíamos ter previsto este inverno frio? Os cientistas dizem que um período frio pode ser devido a uma pequena quantidade de radiação do sol... Neste momento estamos em um período com pouco calor solar. (Leia: Reduced Energy from the Sun Might Occur by Mid-century; Now Scientists Know by How Much)

Para falar com o historiador, romancista, Philipp Blom: "Um grau Celsius, em média, por ano, corresponde a 10 dias de vegetação. Nos anos frios, as plantas mal têm tempo para amadurecer, e o continente está morrendo de fome..."

A nossa pequena área no Alentejo está em mau estado. Há muito pouca grama para os animais. Mesmo as estradas não crescem. Nos 8 anos em que vivemos aqui e vivenciamos o clima aqui, isso ainda não aconteceu. Seca e fria... uma combinação ruim.

E ainda em torno de nós, também pode ser diferente

10 km. mais adiante, os amigos têm hortas, que deram resultados lindos neste inverno. O brócolos está pronto e a couve-flor está florescendo. Também Kashi, que vive 30 km. longe de nós, tem lindos legumes em seu jardim. Uma questão de localização e abrigo, todos dizem: "Sim, você mora perto do rio... lá está frio".

E eles não estão completamente errados ... Porque nunca fomos capazes de cultivar uma árvore frutífera, de qualquer tipo, o que quer que seja. Nosso limoeiro congela todo inverno e este ano congelou definitivamente. Ao mesmo tempo, em nossos vizinhos, as laranjeiras estão florescendo e agora dão bons frutos.

Ó... limoeiro?




E então aqui... a horta linda de inverno de Kashi...
em 17 de fevereiro de 2018:



Boas notícias


Um milagre

"Seria preciso um milagre ... que caísse tanta chuva, que seria suficiente para o próximo verão"... disse o ministro, em entrevista ao jornal, em fevereiro deste ano.

27 de fevereiro: A previsão do tempo promete chuva, mas as nuvens ameaçadoras não a deixam cair...
28 de fevereiro: está chovendo? Sim, um pouco. Muito pouco para acalentar a esperança agora.
4 de março: Choveu a semana toda! E não económico... aguaceiros com ventos tempestuosos e granizo. O rio está se enchendo.
7 de março: Para o mercado em Castro Verde. Comprar plantas para o jardim e mel para o chá... e uma bela manhã ensolarada. O primeiro desde a semana passada! Especialmente projetado para o mercado...? Incrível.
8 de março: Dia Mundial da Mulher e novamente chover. Também não parcimonioso. Continuamente, com fortes aguaceiros, chuvosos atravessavam as colinas como neblina, alternadas com trovoadas estrondas e chuva torrencial.
15 de março: Chove desde 28 de fevereiro, e as previsões mostram uma área de baixa pressão, que continua circulando o Atlântico perto da costa portuguesa, prometendo mais uma semana com chuva! De qualquer forma, isso significa que teremos água suficiente para a horta no próximo verão. Porque nas rochas debaixo de nossa casa há cavidades nas quais a água é coletada e onde é mantida por muito tempo. E não só sob a nossa casa, mas em toda a região. Enquanto isso, os lagos estão cheios e as valas estão fluindo.
É um milagre! Uma circunstância feliz em um mundo turbulento.


O que poderia ser melhor do que um rio cheio com muita água em um país seco?

Hoje 25 de março: Chove todo o fim de semana... e mais ou menos continua do último dia de fevereiro... 4 semanas de chuva no Alentejo? Desde quando?

Conseguiu!


Atualização de 8 de abril de 2018

Enquanto isso, já tínhamos visto que o processo de compostagem estava progredindo, porque o nível nos grandes sacos diminuiu. E ainda assim continua emocionante...

A cor é boa!
Olha ai a pá vai...
... como manteiga :)
E isso cai em camadas arrumado.
Bom .. aqui pode amadurecer ainda mais. Em um cocho abaixo de uma camada de plástico agrícola.
Esse amadurecimento levará algum tempo, mas a coisa mais importante (o calor) é feita.
Então, a paciência faz o resto e daqui a um mês veremos de novo.
*

Stella.

Google traduzido do Inglês e corrigido, na medida do meu conhecimento passa.