.

.

vrijdag 5 mei 2017

O perma-mal-entendido

Em nossa busca para a ingestão de alimentos de plantas... para as aventuras da microbiologia do solo, encontramos um mal-entendido fundamental. Um mal-entendido que persiste teimosamente... um perma-mal-entendido.


Enquanto isso, enquanto estamos a perder a nossa perma-geada (entre outros), esse perma-mal-entendido específico ainda está a crescer; a saber, que o solo em que cultivamos o nosso alimento sempre precisa de fertilização... para todo o sempre. A cultura do fertilizante artificial plantou isso no nosso cérebro... e não nos livraremos dele. Assumimos sistematicamente que o solo em que se reproduz não é bom. Não sabendo que com isso ignoramos um processo biológico muito importante:

Nomeadamente, em primeiro lugar, os minerais: O solo contém minerais suficientes sob a forma de poeiras de rocha (pó de rocha)... e os sólidos rochosos ocorrem em solos rochosos, argila de rio, argila do mar, lodo, löss e até mesmo areia. Em princípio, nas rochas todos os minerais se encontram embutidos.
Em segundo lugar: Os micróbios da substância orgânica (ativa) asseguram permanentemente que esses minerais sejam convertidos em alimento para as plantas. Por meio das plantas, todos os minerais, a partir dos sólidos, são liberados.

Leia também 'Poeira de Pedra, Poeira Estelar', sobre os minerais no solo.
E: 'Nossa terra é fértil!', sobre o mal-entendido de que o composto é um fertilizante.

Quanto mais material orgânico bem composto no solo, mais ativa a vida microbiana vai ser. Apenas a vida microbiana garante uma conversão adequada dos nutrientes.
Ela libera fertilizantes do solo para plantas e esses fertilizantes não podem enxaguar. O solo vai manter a água. Isso se torna perma-natureza ... Uma natureza permanente que se mantém.

A fonte desse conhecimento está com a microbióloga Elaine Ingham. Veja o seu vídeo no YouTube, ou no nosso texto: 'Conhecimentos de idade. Novos percepçoes.'.

O que é perma-cultura?

Assim que entramos no processo do solo microbiano, a cultura se desenvolve. A agricultura é cultura, não natureza. A agricultura utiliza processos naturais, mas não pode ser permanente. Ela ainda está em desenvolvimento. Quando cultivamos com base na microbiologia do solo, nos comprometemos com a agricultura orgânica.
Perma-cultura, no entanto, depende de outra coisa: do florescimento permanente da natureza em grandes áreas, como o ecologista John. D. Liu mostra no exemplo chinês. Isso por si só não tem nada a ver com a nossa pequena horta. O que podemos tratar, nesta escala, é a (micro)biologia no nosso solo. Pode-se chamá-lo de cultura perma... okay, mas na verdade, uma cultura permanente realmente não existe. A cultura está em desenvolvimento, como estamos nós em desenvolvimento. Aqui, gostamos de nos ater ao termo “agricultura biológica”. Porque a perma-cultura começa a se tornar uma palavra de moda para tudo o que se assemelha à natureza.


A agricultura está a agir

... e estamos felizes demais para agir. Queremos ser capazes de ajustar, controlar e manter tudo, e procuramos principalmente soluções técnicas. Também estamos a aprofundar-nos na técnica e gostaríamos de manipular as nossas lavouras, tanto quanto possível, para controlar todos os desenvolvimentos, até os genes. É tecnicamente desafiador, fascinante e muito interessante e gera dinheiro, pelo menos é isso o que esperamos. Caso contrário, isso não aconteceria (?).

Naturalmente, o risco de toda essa manipulação é que às vezes falha. E muitas vezes falha de uma forma que não reconhecemos imediatamente. A comida que cultivamos com a agricultura atual parece boa, mas mostra suas deficiências após um consumo de longo prazo. Não seremos capazes de vê-lo imediatamente. Nós reverenciamos a “um estilo de vida errado”... As pessoas comem muito disto e pouco daquilo. Nada indica que a nossa comida tenha deficiências. Afinal... os métodos de cultivo permanecem dentro da norma e são cuidadosamente tratados com pesticidas... Aqui temos um segundo perma-mal-entendido? Ou é intencional?

Gradualmente, fracassos em alguns negócios também estão ocorrendo porque o tamanho da escala dá origem a isso. Esse momento é tempo de reflexão. Mas a reflexão geralmente se concentra inteiramente na recuperação de ativos financeiros e não em uma reconsideração de erros intrínsecos. Para dizê-lo mais claramente, a manipulação permanece, apenas o método muda, o que seria bom quando reconsiderarmos as manipulações, o nosso fascínio pela tecnologia e soluções artificiais. A microbiologia do solo fornece uma variedade de possibilidades dentro das quais podemos liberar muitas técnicas bonitas. Os pesquisadores devem contribuir para a liberação microbiológica ótima de minerais de poeira de pedra (pó de rocha). É uma questão de mentalidade.



*

Stella.

Nova tradução do inglesa, usando o Google Tradutor, 
com grande ajuda do meu professor Sr. João Ghizoni.



Geen opmerkingen: